18.10.06

Inglesa, internet e afins





Pois é. Perguntaram o que aconteceu com a inglesa. Eu estava postergando explicar o que aconteceu apenas para não ficar colocando coisas negativas aqui no blog. Alegria, alegria, galera! Vamos rir pra não chorar.



Depois de me de digladiar por um mísero acesso à internet, acordei no dia seguinte, e vejo o seguinte cartaz colado à porta do quarto da moça:"




"Por favor NÃO PERTURBE. NÃO BATA NA PORTA.


Se precisa de mim ligue no celular + deixe uma mensagem!


Obrigada pela cooperação"

A julgar pelas pessoas que batiam à porta, entravam e saíam de seu quarto durante a noite daquele dia, eu poderia jurar que só faltou colocar um destinatário ao bilhete - Sheik Luís.

Quando cheguei à cozinha, percebi que o buraco era mais embaixo, e que a casa estava em estado de guerra aberta, todos contra todos. Mais bilhetes afixados nas portas dos armários, mas eram escritos por outra pessoa:


"Por favor use APENAS seus pratos! Não use o dos outros"


"Por favor use seus próprios pratos! Lave os pratos sujos!"







Dessa vez, não foi pra mim: embora eu não tivesse pratos, sempre lavava e guardava no devido lugar os talheres e utensílios utilizados.


Mas quando fui fazer a janta, senti que a coisa não tinha ficado apenas no nível dos bilhetes: não havia nenhuma panela, prato, garfo ou copo na cozinha. Aí eu me revoltei...



Guerra é guerra. Sheik não pede: ordena. Sheik não pede favor: faz. Num momento de fúria descomunal, comprei panelas, pratos e talheres que ficam agora em meu quarto. Viva o IKEA!

De quebra, já solicitei também a Carta de não-objeção ao landlord para ter acesso à internet só pra mim (sim, eu preciso pedir permissão para o dono da casa para poder ter acesso à internet...).

Um comentário:

veri disse...

Putaquipariu, que clima horrível!