26.9.06

O jejum e o Ramadã

Jejuar durante o Ramadã, assim como as 5 orações diárias, é um dos 5 pilares do islamismo, levado a cabo com naturalidade, orgulho e alegria por aqui.

O jejum - de água e comida - inicia-se após uma refeição rápida antes do sol nascer, por volta das 4:45h, e só termina quando o sol se põe, por volta das 18:15h. Então, é hábito reunir-se para o Iftar, a refeição de quebra do jejum. Não é incomum as pessoas saírem às ruas, nesta hora, soltando fogos de artifício. A imagem das pessoas sentadas no chão do lado de fora das mesquitas compartilhando a refeição é algo que guardo pra mim.

Ramadã, apesar das restrições, é tempo de alegria e festa. É tempo em que toda a sociedade se organiza em torno de um objetivo comum. Como carnaval, como Copa do Mundo, para brasileiros. Tempo de reunir a família e os amigos, como Natal. Tempo de comer comida diferente, que vende no supermercado e que não sei o nome. Leio no jornal que Ramadã é tempo de exercício da paciência. Que bom, eu preciso disso mesmo.

Ainda não entendo esta relação com a lua, que neste mês, destaca-se crescente no céu, o símbolo do Islã. Sou leigo no assunto. As sociedades pré-colombianas nas Américas tinham uma relação semelhante com o sol, não é?

Estar na festa e não participar não tem graça: vou tentar seguir ao jejum e observar, observar.

3 comentários:

Daniela disse...

Oi Luís!! Já leste alguma coisa sobre uma celebração que tem no final do Ramadan? Até!!

Cristiano disse...

Falae, Luisão!
Cara, esse tipo de experiência deve ser a parte mais legal de tudo isso, contato com uma cultura completamente diferente, e tentar viver isso da maneira mais completa possível (para não ficar de fora da festa, certo?).
Abraço
Cris

Anônimo disse...

Po luisao, a lua crescente nao dura o mes inteiro né