14.3.07

Outros planos

Eu tinha outros planos para o blog hoje: uma foto da praia. Uma sessão Dubai High Society com o Fábio, que veio da Itália e deixou vinhos da terra da Máfia. Ou o colega da etnia Singh que fala Punjab? Que tal um texto sarcástico sobre esta cidade onde fumar maconha dá mais anos de cadeia que estuprar uma mulher? Parodiar o Maluf ("estupra mais não mata"). As mulheres de Dubai usam burca? Como são as mansões de daqui? O almoço filosófico com a Shadya no prédio da CNN, com direito a Niestzche e ateísmo; talvez o primeiro texto da série "Os trabalhadores", que só perturba o sono e nunca sai; esboços sobre a "Ordem e Progresso", corredores infinitos, um link para um site de um fotógrafo daqui... não é fácil escolher o que escrever em 1h de cyber café.

Mas aí o telefone toca... "Oi filho... você lembra que a Bela... ela estava doente, né?..."

Pois é. Dias antes de sair do país, passei por lá me despedir: estranho alguém perder 10 quilos por uma hemorróida... e ficar com uma sonda no intestino... talvez o médico não tenha dito a verdade. Como você se despede de alguém que acha que nunca mais vai ver? Nunca, palavra forte. Tiramos uma foto. A Cida saiu na foto? Não lembro. Eu disse "eu mando um cartão postal". Não mandei. Ela mandou o recado! Agradeceu ao lindo cartão que eu tinha mandado das Arábias... que cartão?! Uh, esqueci! Mas que memória ela tem... mandei.

Mandei. Será que chegou? Eu gostaria que tivesse chegado. O telefone toca de novo: agora é minha irmã, notícia ruim pra se ouvir no trabalho. A negra forte que o tempo demorou pra embranquecer os cabelos gostava dela, e quando vinha em casa depois de viagens pela Europa na aposentadoria, carregava ela no colo e ficava ali na sala, contando pra mãe que na Escandinávia as pessoas pediam para tirar foto com ela: eles, brancos como lagartixa, nunca tinham visto uma negra! Ou o politicamente correto "afro-decendente"? Ela ria. Sorriso pulmonar, que balança a barriga e os braços. Eu nunca ri assim. E quando via, estava todo mundo rindo sem saber por que. Na época certa, ela trazia a laranja-cavalo e as cinzas. Minha mãe fazia a compota e a gente ia lá, retribuir com doce a gentileza. E corria até o fundo do quintal: de lá dava pra ver os trilhos do trem.

Uma bomba explodiu hoje em Bagdá. 12 vítimas. Todo dia explode uma bomba em Bagdá, todo dia há um confronto no norte do Iêmen fazendo centenas de baixas, em Darfur acontecem "atrocidades". E a dona Bela resolveu dormir até mais tarde. Não há mais colo, Veri. Eu tinha outros planos para hoje, mas ficam para outro dia.

8 comentários:

iglou disse...

Meus pêsames. Se te consola: nothing is here to stay.

Anônimo disse...

......so sad.
Tati (email)

veri disse...

Eu também gostava de colher tomate cereja e jabuticaba no quintal. Era bom brincar com aquela plantinha, a dorme-dorme. Era gostoso ganhar chocolates em todos os natais, e sempre me encheu de orgulho ser o único retrato de menina branquela que ela guardava em cima da cômoda, repleta de fotos de parentes negros, alguns na África. Ela dizia que eu era a princesa. Mal sabia ela.

La Dubaiana disse...

Po Luis, que chato. Eu nem sei o que dizer. Palavras me faltam em situacoes como esta. Te ligo.
E homens sao como sorvetes? Pq sao gelados, mas sempre acabam se derretando? =P Ah vai, foi ruim, mas era soh pra descontrair...

Rafael disse...

Uma ótima lembrança de um momento que foi eternizado em seus pensamentos é a melhor forma de manter viva os nossos sentimentos. Não tenha saudade, tenha ótimas recordações ... meus sinceros sentimentos. Rafael Mordente

Anônimo disse...

Sei o quanto dói a dor da saudade.
Sei como machuca um pranto mudo, uma lágrima retida, uma distância
que separa entes queridos. Isso acontece quando existe um elo muito forte de amor, amizade, de bem querer. A Bela se foi e sei muito bem como ela era querida. Sei muito bem o quanto seus pais
adoravam a Bela, muito antes de vocês nascerem. Ela acompanhou o nascimento, a adolescência, a juventude, a maturidade, afinal ela iria completar 77 anos. Ficou a bela saudade da Bela. Compartilho com vocês e seus pais
este momento difícil.

Nara disse...

Oi Luis meu nome e Nara e tenho um sonho que e trabalhar em Dubai tenho experiÊencia em garçonete e tabm sei o ingles basico na verdade bem basico mas eu tenho facilidade de aprender as coisas se vc me der uma chance de realizar meu sonho.

SILVIA CRISTINA disse...

OLÁ LUÍS, SOU SILVIA CRISTINA, ESTAVA EM BUSCA DE INFORMAÇÃO SOBRE COMO ME CANDIDATAR PRA TRABALHAR EM ALGUM HOTEL EM DUBAI, E POR ACASO ENCONTREI SEU BLOG NO GOOGLE, QUE POR SINAL É MUITO INTERESSANTE, VC DEVE SER UM PESSOA INCRÍVEL, PELO QUE TENHO REPARADO AKI...
VEJA SE PODE ME AJUDAR COM ALGUMAS DICAS:
SOU FORMADA EM TURISMO, FALO INGLES, UM POUCO DE ITALIANO E ESPANHOL...
JÁ TRABALHEI NA TAM CONPANHIA AEREA, TENHO OUTRAS EXPERIENCIAS QUE AJUDAM PRA AREA HOTELEIRA...

ENTÃO ESTOU AGUARDANDO SUA RESPOSTA, SE PUDER ME AJUDAR...
DESDE JÁ TE AGRADEÇO PELA ATENÇÃO!
SILVIA.