19.11.06

Diz o ditado que envelhecer é morrer um pouquinho a cada dia.

Se assim o é, toda vez que morre alguém fazendo algo que se sonha em fazer, morre junto um pedaço de nós, e assim nos tornamos um pouco mais velhos também.

Chega-me através dos amigos ciclistas Kurt e Darina a notícia da passagem de um arquiteto colombiano com quem pedalaram pelos Andes. Faleceu de peritonite já relativamente perto de casa, na fronteira Peru-Equador.

Pode-se imaginar o luto de seus familiares e amigos, que certamente já preparavam a festa para sua chegada. Triste: há lugares do mundo em que um problema controlável de saúde torna-se fatal.

Consolo? Todo mundo morre, até eu e você, caro leitor. Ele faleceu em meio a uma viagem que certamente lhe dava prazer e sentido à vida. Que isso traga conforto a seus familiares e amigos.

2 comentários:

Anônimo disse...

Por mais longa que seja a minha vida, é curta demais para as minhas aspirações!
PAI

veri disse...

Já diria Nina Simone em Feeling Good (puxe assim que puder):

Birds flying high you know how I feel
Sun in the sky you know how I feel
Breeze driftin' on by you know how I feel

It's a new dawn
It's a new day
It's a new life
For me
And I'm feeling good


Fish in the sea you know how I feel
River running free you know how I feel
Blossom on the tree you know how I feel

Dragonfly out in the sun you know what I mean, don't you know
Butterflies all havin' fun you know what I mean
Sleep in peace when day is done
That's what I mean

And this old world is a new world
And a bold world
For me

Stars when you shine you know how I feel
Scent of the pine you know how I feel
Oh freedom is mine
And I know how I feel